ENQUANTO EU ESCREVIA.../ Nane P. Feliciano


Talvez você esteja vivendo um turbilhão de coisas.
Talvez esteja vivendo uma maré calma e suave.
Talvez você seja uma dessas pessoas leves que caem e se levantam, que riem de si mesmas.
Talvez, para você, não seja tão fácil rir de si.
Talvez você precise desesperadamente ser ouvido, acalentado.
Talvez você esteja transbordando amor e só queria acalentar e ouvir.
Talvez você esteja, neste momento, preso ao caos da rotina e não consiga enxergar o essencial. 
Ainda.
Talvez você só precise de uma pausa que, mesmo breve, permita silenciar seus pensamentos, aquietar a alma, pegar um café, sentar na rede, no chão, na sacada...
Talvez este livro faça tão bem a você como fez a mim, enquanto eu escrevia...
Nane

“Vera atende ao telefone e sorri com aquele sorriso de canto de boca, sabe? Ele chega às 21h. Perfume nos pulsos e duas gotinhas atrás das orelhas. A campainha toca. Leoa. Ah, essa Vera...”
Estação mulher

“Descobri que, provavelmente, não morrerei por nenhum dos motivos pelos quais já perdi o sono. E, assim, descobri finalmente que as coisas todas têm o tamanho que a gente dá para elas...”
Como eu e você

“E tem a tia Marocas. Ela tem o corpo daqueles jogadores de futebol americano, chega no churrasco fumando um Derby vermelho, arruma treta com as cunhadas, xinga as crianças que correm pelo quintal, mas... Se fica sabendo que alguém está doente, corre fazer aquela canja reforçada e o xarope de agrião. Gente boa, a tia Marocas...”
Certa dose de loucura

Foi misturando algumas doses de sensualidade e romance, pitadas de poesia, um punhado de loucura e alguma crítica social. Assim nasceu este delicioso livro de crônicas. Para aquele tempinho que você tira para si mesmo, sabe? Para ficar consigo, para relaxar, refletir ou não pensar em nada. Enquanto eu escrevia... é daqueles livros que o levam para esse lugar de paz e aconchego. Um lugarzinho bom, onde você ri, reflete, se emociona, gargalha e, quando termina, fica com um gostinho bom de fruta madura na boca. Gostinho de quero mais...

Nane P. Feliciano
É publicitária, pós-graduada em paixão por cotidiano e mestranda em criação de menino levado. Nascida no final dos anos 70, é casada e mãe de dois meninos, os “Ursos” que protagonizam algumas das crônicas deste livro. Colunista do site O Segredo e autora do blog Nane Prosa, essa paulistana de quase 40 se delicia e emociona as pessoas mostrando, em suas crônicas, o lado divertido das coisas do cotidiano.

Serviço:

Enquanto Eu Escrevia...
Porque Talvez Você Tenha Vivido Coisas Assim
Nane P. Feliciano
Scortecci Editora 
Crônicas
ISBN 978-85-366-5789-9
Formato 14 x 21 cm
168 páginas
1ª edição - 2019

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.
Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home