GETÚLIO VARGAS E O TEATRO / Eliza Bachega Casadei

A partir de uma pesquisa no Arquivo Miroel Silveira, da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, este livro explora aspectos relacionados ao modo como o imaginário de Getúlio Vargas foi captado, construído e reconfigurado no teatro nacional durante o seu governo, relacionando-o com outros produtos midiáticos que circulavam no período.

É possível notar que, em um primeiro momento, diversos ideais relacionados à Revolução de 1930 são comemorados e elementos como o sorriso do presidente e a sua suposta capacidade de harmonizar os interesses nacionais em conflito são enfatizados. Há, contudo, um desgaste desta imagem e a personificação de diversos problemas nacionais nas peças   a partir do final dos anos 40.

Além disso, este estudo também mostra aspectos da censura ao teatro nacional e busca mostrar quais imagens foram vetadas no teatro paulista no que diz respeito a esta figura tão controversa da história nacional. Como os produtos midiáticos são importantes atores na construção dos imaginários políticos, este livro busca retratar, justamente, quais foram as contribuições de diversas instância midiáticas na construção do imaginário varguista.

Há muito sabemos que os meios de comunicação de massa atuam como mediadores do imaginário social acerca do poder político, atuando como agenciadores de representações socialmente compartilhadas. Neste sentido, este livro explora alguns aspectos do relacionamento entre os produtos midiáticos e o poder a partir do estudo de como o imaginário social de Getúlio Vargas foi mediado, construído e reinterpretado em peças teatrais encenadas durante o seu governo. A partir das peças presentes no Arquivo Miroel Silveira, esta pesquisa procura também compreender qual era o papel da censura frente a estas representações.

ELIZA BACHEGA CASADEI é doutoranda em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA-USP) e professora dos cursos de Comunicação Social do Complexo Educacional FMU-FIAM-FAAM. É Mestre em Ciências da Comunicação pela ECA-USP e jornalista formada pela mesma instituição. É coautora do livro “Palavras Proibidas: pressupostos e subentendidos na censura teatral” e autora do livro “Saiu da História para entrar nas revistas: enquadramentos da memória coletiva sobre Getúlio Vargas em Veja, Realidade e Time”.

Serviço:

Getúlio Vargas e o Teatro
Comunicação, Poder e Censura na Construção Simbólica do Imaginário Varguista
Eliza Bachega Casadei
Scortecci Editora
Comunicação
ISBN 978-85-366-2430-3
Formato 14 x 21 cm 
152 páginas
1ª edição - 2011

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home