QUARTETO / Waldir de Luna Carneiro

O bom e o melhor, às vezes, vem do interior. O eixo Rio – São Paulo não permite crescimento aos que escrevem fora dele. Daí a migração, deixando os teimosos da província nas trevas da apreciação pública, ou seja, do restante do território. Os metropolitanos nem sempre acolhem os provincianos, não lhes dão vez. Esta é a conclusão a que se chega lendo Waldir de Luna Carneiro.

Autor de várias peças teatrais, tem oferecido grandes contribuições a nossa ficção levada à cena. Luna Carneiro explica sua permanência no interior e relembra Manuel Bandeira: “Sou provinciano, como provinciano me sinto bem”. O poeta de “Estrela da Tarde” condenava o emprego pejorativo da palavra província quando empregada por aqueles que só enxergam nela as limitações do meio pequeno.  – Na província se pode produzir do bom e do melhor, grande parte da produção dos grandes centros provém do interior.
Manoel Hygino dos Santos - Academia Mineira de Letras

Waldir de Luna Carneiro, dramaturgo, é também um dos nossos bons contistas, mas como não tem, feito outros, a invisível – mas sempre atuante – agência de auto promoção, seu nome não é citado como deveria ser. Seus contos mostram o pulso de um verdadeiro ficcionista, não só o sabor e a boa estrutura ficcional, mas ainda aqueles sinais de solidariedade (quase invisíveis de tão leves e daí a sua força) que captam, desde logo, a adesão plena do leitor. E para isso concorre o sorriso bem humorado – meio terno, meio irônico – que o narrador experiente destila nessa espécie de halo a envolver o texto bem elaborado. A maneira de tecer sua teia é de precisão vocabular idêntica ao enquadramento de cada cena. Mexe com qualquer leitor. Um de seus contos destaca, de maneira comovente, o que é a estupidez e a brutalidade da guerra, e nos conta como a música alimenta um povo, que vindo da Itália, tem no Brasil a sua segunda pátria, uma história enternecedora e tocante do menino brasileiro ao conhecer seu avô que chega da Itália. 
Euclides Marques Andrade - Academia Mineira de Letras

Os contos:
I - Neto ajuda avô reaver  antigas gravações da música lírica.
II - Colecionador se gaba de possuir a mais completa coleção de armas de fogo.
III - Funcionário de banco foge com dinheiro.
IV - Prefeito tem planos revolucionários para acabar com a pobreza.

Serviço:

Quarteto
Waldir de Luna Carneiro
Scortecci Editora
Contos
ISBN 978-85-366-3086-1
Formato 14 x 21 cm 
60 páginas
1ª edição - 2013

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home