A VIOLINISTA NA VARANDA / Adriana Gattermayr

A Violinista na Varanda traz um fragmento da vida de Andiara, uma violinista apaixonada e apaixonante, que vê seu pequeno caleidoscópio da vida girar quando sofre um acidente e conhece um médico cirurgião. O cotidiano da convivência é seu grande monstro e a Arte é sua deusa-destino, girando o caleidoscópio novamente quando uma gata branca invade sua varanda e ela resolve segui-la. A gata salta magistralmente para sacada do vizinho, no décimo quinto andar. E o que Andiara encontra no escuro deste apartamento define o tom da sua trajetória.

“Juntou as mãos entre as pernas, a cabeça baixa, resolvendo se estava com raiva ou com culpa, como eu. E tudo o que fazíamos era o que sempre fizemos. Silêncio. Então eu fiz o que sempre faria. Vamos para casa, amor. Casa? Que casa, Andiara? Você acha que só porque duas pessoas moram juntas é uma casa? A do Juan é mais sua do que a nossa. A da Marisa é mais minha do que a nossa. Casa? Casa onde, mulher? Você não vê?! Não tem mais casa, não tem mais nada! Seu bip o interrompeu. Ele saiu empurrando a porta com violência e me largou lá, estupefata. Erik falara tudo o que eu queria dizer. Mas não o que eu queria ouvir.”

“Juan foi sucinto. Um beijo longo e apaixonado foi atravancando a fila. Eu não queria que ele fosse embora, ele não queria que eu ficasse. Os físicos dizem que o tempo não é fluen-te, é uma grande colcha de retalhos, onde os momentos estão sempre acontecendo, para sempre. Num beijo daqueles é que a gente entende. É preciso complexidade para desvendar complexidade. Quando o beijo acabou, ele desabotoou o último botão da minha blusa e eu achei que ele fosse se deitar comigo ali mesmo, no meio do aeroporto. Para o garoto seria como a sacada, um trampolim para o tudo. Mas Juan era como o maestro, gente também. Agachou-se e beijou minha barriga, despedindo-se do filho não filho. Depois fechou o botão novamente e sussurrou, segurando carinhosamente o meu rosto, Estrela, eu teria amado você. Com todas as musas do mundo, eu teria amado você. Abriu o passaporte na folha da foto, botou o fone na orelha e se foi. Juan era assim. Meio Moulin Rouge.”

Andiara não é simplesmente uma artista, é uma personagem visceral. Não enxerga os relacionamentos em rótulos e entende que no amar cabem múltiplas possibilidades simultâneas, que colorem seu cotidiano e a salvam do sufocamento. Sua história discute traição, convivência, escolhas e fugas. Como numa conversa, ela vai contando sua vida permeada de causos dos filhos e reflexões com amigos, girando, girando, girando, até...

Adriana Gattermayr nasceu em São Paulo e é publicitária de formação, com MBA em Gestão e Empreendedorismo Social. Já trabalhou com marketing cultural e produção de eventos, além de ter coordenado um projeto de ensino de literatura e formação de leitores proficientes com alunos de ensino médio de escolas públicas e particulares de todo o país. Escritora publicada com o livro infantojuvenil O Roubo das Agendas, escreve desde contos e crônicas até dramaturgia, como a peça Lua de Chocolate, escrita em parceira com Patrícia Franco, que foi encenada pelo Colégio Vértice em São Paulo. Em 2009 fundou a ONG Instituto Baraeté, que trabalha com mobilização para a sustentabilidade através de eventos, cursos, palestras e jogos. Projetos com reaproveitamento de materiais descartados da indústria para criação de brinquedos; eventos de discussão de temas chaves da sustentabilidade e jogos que ensinam o consumo consciente são alguns dos trabalhos do Baraeté. Conheça mais em:
www.institutobaraete.org

Ao terminar este livro, compartilhe, reutilize, recicle!

Serviço:

A Violinista na Varanda
Adriana Gattermayr

Scortecci Editora
Romance
ISBN 978-85-366-3050-2
Formato 14 x 21 cm
112 páginas
1ª edição - 2013

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home