QUADRA DO QUADRADO QUADRICULADO / Rui Sève de Samarcos Lora

“Da quadra da vida espero somente alegria e como Rigoletto que sou às vezes penso se eu sou você, mas sei que você sou eu. Então, eu queria... ah, vamos ver? Pura agonia essa mania de ser e sentir-se metade. Vidas, verdadeiras carroças sem cavalos, faz desta a melhor das épocas onde este pode ser um dos muitos poemas de uma letra só. Movimento da divagação que perdura no tempo. Isso mesmo. Mudam-se os tempos! Agora, você é a Verdade e eu sou o Devagar.

Somente com a roda, redonda roda, é que não paro de pensar no infinito, na plenitude de uma noite encantada nesse sobe e desce da vida. Nova ilusão que só ocorre no shabat. É por trás dos olhos que vejo minha sina, trocando palavras por você - oh, vento que vem do vento – ainda é o mesmo que entra nos seus sapatos toda vez que subo a velha montanha. Pois bem, este é o fim do início do meio. Coisas que o futuro abriga em pedras passadas antes do tempo de le defi. Quando a ebulição em dois sentidos torna-se pedaço do tudo, o beijo de cem sentidos aguça nossa vontade de por um fim.”

Cidadão ítalo-brasileiro, Rui Sève de Samarcos Lóra nasceu em Brasília. Começou a escrever poemas participando de uma competição entre os alunos de sua escola. Naquela época, acabou ganhando o primeiro prêmio e teve sua poesia exposta no mural. Muitos anos depois, lembrando-se do conselho de uma antiga professora do oitavo período, que, disse que o mesmo tinha nome de poeta, nunca mais parou de escrever. Rui Sève de Samarcos Lóra é apaixonado pela escrita e leitura. Acredita que a forma mais poderosa de salvar a humanidade da ignorância é por meio dos livros e dos professores. Além de escritor, é especialista em Ciências Políticas e bacharel em Relações Internacionais. Ex-aluno e pesquisador bolsista de diversas instituições estrangeiras – fato que o possibilitou conhecer 33 países inspirando muitas passagens deste livro. Atualmente dedica-se ao estudo de idiomas, culturas antigas e religiões. Em 2007, foi agraciado com o título de Peregrino de Jerusalém, recebido do prefeito daquela cidade.

Quadra do Quadrado Quadriculado é um convite à poesia informal, inspirada nos pequenos detalhes da vida e a palavra “expirada” não fazia sentido neste contexto. A menos que possuísse um papel semântico por trás de seu real sentido: morto, vencido, etc, nas palavras não ditas. Escrito a partir de 2005, o livro reúne poesias escritas em diferentes situações e circunstâncias. De versos românticos à poesia construtivista, a obra relata o dia a dia de alguém que nunca deixou de pensar, de amar e de desejar. Poemas que em algumas das vezes nos leva ao sincretismo cretense das coisas, à vontade de unir mais do que separar. O título - uma alusão ao contrário concreto das coisas - nos remete às ideias de preto e branco, do concretismo que dá forma, som e movimento às palavras. Uma tentativa de ensaiar o diferente pelo cotidiano. O parado se movimentando e o anseio de ser ouvido pelas palavras reproduzidas em sentimentos. O sentido das páginas que estão por vir é o de transformar meu sentimento em expressão. Vasculhei a imensidão de uma mente pensante, o coração de um corajoso viajante e as mãos de um eterno sonhador para demonstrar que, para os que já conhecem a vida de um louco alucinante, os versos inquietantes nada mais são do que a verdadeira verdade do homem errante, comum e igual a todos os semelhantes.
Rui Sève de Samarcos Lóra

Serviço:

Quadra do Quadrado Quadriculado
Rui Sève de Samarcos Lora
Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-3102-8
Formato 14 x 21 cm
72 páginas
1ª edição - 2013

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home