OS BOIS-BUMBÁS DA AMAZÔNIA / Chaguinha do Biá

O Festival Folclórico da cidade de Parintins, o espetáculo mais esperado da floresta Amazônica, acontece todos os anos sempre nos dias 28, 29 e 30 de junho. Os preparativos dos ensaios, da confecção das alegorias, fantasias e coreografias têm início antes mesmo do Festival. O grande evento é celebrado no Bumbódromo, considerado o templo sagrado dos Bumbás da Amazônica, com capacidade para receber até trinta mil admiradores dos Bois Garantido e Caprichoso. Milhares de pessoas são atraídas anualmente para o Festival da Ilha de Parintins, para os ensaios nos currais de Caprichoso e Garantido que são apresentados através do conjunto folclórico, inspirado nas lendas Amazônicas de pajelanças indígenas e costumes de várias tribos.

Chaguinha do Biá é o pseudônimo literário de Francisco das Chagas Teixeira Souza. Professor, poeta, ornitófilo, ilustrador e fotógrafo, nasceu no igarapé Vitória – pertencente ao rio Mamoriazinho, afluente do rio Purus – dentro do município de Lábrea (AM), no dia 15 de julho de 1957. Filho de Franklin Teixeira de Souza (Biá), funcionário público, natural do Estado do Ceará, que veio para o Amazonas como soldado da borracha em 1945, e Maria Bezerra de Souza (Polônia), amazonense, agricultora, seringueira, filha de cearense. Desde muito cedo já ajudava seus pais no sustento da família. Trabalhava na lavoura do roçado e da várzea, porém, sempre nos horários de folga dos seus estudos. Trabalhava, também, para comprar seu próprio material didático escolar. Não pôde continuar seus estudos na cidade de Lábrea, uma vez que não existe escola de 2º Grau no município onde passou sua infância e adolescência. No final de dezembro de 1976, foi obrigado a deixar sua terra querida, viajar num barco sobre as águas barrentas do rio Purus, e ir para a capital do Amazonas buscando dar continuidade aos estudos paralisados no interior. Em 11 de maio de 2010, ganhou o prêmio de literatura – na categoria "Poesia" – promovido pelo PROARTE da Secretaria de Cultura do Amazonas. No dia 17 de junho de 2010 inicia o processo de readaptação de função, e vai trabalhar na Escola Municipal Maria Auxiliadora Santos Azevedo, situada no bairro João Paulo, na função de auxiliar de biblioteca. Em outubro de 2011, é nomeado secretário da Escola Municipal Rubem da Silva Peixoto. Atualmente o poeta Chaguinha do Biá dedica o seu tempo vago (sábados, domingos e feriados) à continuidade do seu trabalho como escritor, volta-se, principalmente, aos temas regionais e ambientais da nossa amada Amazônia, dando a sua contribuição de caboclo nativo do alto rio Purus.

Serviço:

Os Bois-Bumbás da Amazônia
Chaguinha do Biá

Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-3111-0
Formato 14 x 21 cm
56 páginas
1ª edição - 2013

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home