NASCIDOS DEPOIS / Teresa Oliveira

Nascidos Depois é um livro de conteúdo verdadeiro, com o caminho que percorri até chegar à minha história, à minha origem. Não foi uma trajetória fácil, apesar de ouvir de muitas pessoas que fui privilegiada com a adoção. Ora, isso eu sei! O problema nunca foi a minha adoção, mas o motivo pelo qual ela existiu. E esse sofrimento somente eu sei dosar as proporções de danos que causou. Ter a consciência de que houve uma separação dos pais no nascimento – porque eles eram pacientes de hanseníase e, portanto, proibidos de serem reconhecidos como seres humanos – mostra-me que eu também, por ali nascer, era algo repugnante.

Sinceramente, duvido que isso não cause dor. Porém, com danos ou não, jamais imaginei que uma história, uma única história, poderia transformar tantas outras. Quando iniciei as oficinas para chamar os outros filhos separados à luta por uma indenização do Governo Federal – reparação mais do que justa e que está demorando muito, uma vez que tudo já foi feito, – descobri uma força interior imensamente recompensável. Bati em muitas portas, sacrifiquei minha vida pessoal até o limite do insuportável, abandonei minha zona de conforto, mas nunca desisti da publicação deste livro, porque a certeza é a minha maior arma para vencer os obstáculos.

Finalmente, por meio da Fundação Paulista contra a Hanseníase, cheguei à edição do livro. Como sempre, estou pronta para novas lutas, mas agora sei que apesar de algumas portas se fecharem, outras estarão abertas e continuarei a falar sobre a hanseníase e todos os problemas sociais que as políticas higienistas não lograram mensurar. Agradeço à Fundação Paulista contra a Hanseníase a confiança nesta parceria e ao MORHAN (Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase), onde minha dor foi ouvida e respeitada. Sem essas duas instituições eu continuaria a buscar o que fui, sem ter conseguido ser ninguém.

Filhos separados pelo isolamento compulsório. Entre as décadas de 20 a 80 do século passado, por meio de uma lei brutal, isolaram à força todos os pacientes de hanseníase no Brasil. Fechados em colônias, numa época em que o tratamento era experimental e não se conhecia a cura, o sofrimento dos pacientes aumentava quando geravam filhos, porque no momento em que esses nasciam eram arrancados dos braços maternos e enviados a instituições onde outro sofrimento se iniciava: o dos filhos separados. Muitos continuam desconhecendo suas origens, amargando as consequências da vida institucionalizada, e é para eles que este livro é dedicado, para que jamais ousem criar leis que decidam a vida das pessoas pelo método mais brutal da separação. Nós, voluntários do MORHAN, trabalhamos incansavelmente para que isso nunca mais aconteça!

Teresa Oliveira, nascida em São Paulo (SP), em 1956, é assistente social e pedagoga. Trabalhou no sistema penitenciário por muitos anos e sempre procurou saber mais sobre sua própria origem, buscando, sem saber, uma grande causa, em que a assistência social seria fundamental. Hoje é voluntária do MORHAN (Movimento de Reintegração das Pessoas Atingidas pela Hanseníase) nas vinte e quatro horas por dia. Deixou o emprego, a vida pessoal e tem no movimento e nas pessoas atingidas pela hanseníase seu único objetivo de vida. Nada mais. Coordena o Núcleo MORHAN de Barueri/SP, a Comissão dos Filhos Separados pelo Isolamento Compulsório, com outros companheiros, e é a atual secretária de Comunicações da Coordenação Executiva Estadual de São Paulo do MORHAN. Desenvolve projetos sociais nesta área e admi-nistra dois blogs sobre o tema:
http://filhosseparadosmorhan.blogspot.com
http://hansenpontocom.blogspot.com

Serviço:

Nascidos Depois
Teresa Oliveira

Scortecci Editora
História
ISBN 978-85-366-3140-0
Formato 14 x 21 cm
168 páginas
1ª edição - 2013

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home