OS CASOS... ISABELA / Wagnei Fonseca Pichelli

Uma família volta de compras num supermercado e a filha mais velha pede ao pai para ir na frente. Chegando ao apartamento ela se depara com uma barata na cama e a mata com um chinelo. Sobe num criado-mudo para jogá-la pela janela, se desequilibra e cai, morrendo na queda. Um acidente trágico. Se fosse só isso não produziria uma obra de ficção. Mas o autor vai bem mais longe a partir deste núcleo.

Evoca a complexa vida invisível que nos cerca, convoca vozes de outras testemunhas de todo o percurso da criança, conseguindo nos dar ideia de uma trama vital que se passa ao nosso redor sem o conhecimento da maioria. Estamos embotados para o principal, o vasto mundo psíquico onde vivemos, mesmo não sabendo. Este embotamento é personagem relevante nesta história nada banal.
Rui

Observando esses anos todos de maneira cega, eu fui trocando, sem alvoroço, as angústias, a grande tristeza, por uma simplicidade que jamais entendi, sempre aventurando com máscaras apelativas e intenção de sentimentos enternecidos. Caminhos que de antemão sabia sem qualquer objetividade; a plasticidade com o inenarrável abuso do equilíbrio para manter o corpo ereto me colocou doente e, nesta arrogância busco a cumplicidade comovente do mundo em que existo. Claramente percebo que é doente esse tempo. Não é a doença do corpo que é reflexo apenas, mas o ser mais íntimo que se abriga dentro do corpo nos dias em que foram permitidos e se humilha na incoerência de tudo! Quando passo a perceber que os riscos de existir são grandes e incompreendidos... e que as sensações extraídas de todas as circunstâncias se tornam difusas e se ocultam, me aquieto receoso, ficando sujeito às fragilidades que me acompanham. Visivelmente, perco da essência de todas as coisas sua cumplicidade, e as virtudes imutáveis se afastam com grande espanto de minhas tolices. A violência passa a consagrar os meus sentimentos que os usa como amuleto: Assim desperdiço minha única chance de ser humano!

Wagnei Fonseca Pichelli, nascido em Osasco, 1946. Tem vários livros escritos, sempre repudiando a vulgaridade insistente como mestra para uma existência de desencontros. O que se chama de contemporânea é uma vestimenta para os fragilizados, aqueles que ainda não entenderam o que hoje surge como novo (é apenas aquilo que foi esquecido).
Seu primeiro livro publicado é O entregador de sonhos.

Serviço:

Os Casos... Isabela
Wagnei Fonseca Pichelli
Scortecci Editora
Ficção
ISBN 978-85-366-3238-4
Formato 14 x 21 cm
176 páginas
1ª edição - 2013

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home