POESIA - PALAVRA FEMININA / Silvio Valentin Liorbano

O acúmulo do tempo no rosto é inevitável, mas cada vez que escrevo um livro em prosa ou verso, espano o pó da alma, retiro a cortina da janela dos olhos e busco imagens que acontecem lá fora e dentro de mim. Os poemetos que seguem falam das adoráveis: Adélia Prado, Cora Coralina, Roseana Murray e Elisa Lucinda – artistas, poetisas e personalidades singulares das letras brasileiras.

Há um diálogo intertextual, uma aproximação amorosa com as temáticas, as formas e principalmente com a beleza dos escritos femininos. Em uma época de violência extrema – ofereço o efêmero, a flor que rebenta e desaparece no espaço de um dia, mas deixa seu perfume. Nenhuma resposta e muitas perguntas... A poesia pede taquicardia, pranto, sorriso, grito e silêncio.

O poema parece pronto, os seres parecem prontos, a canção, a pintura, os automóveis, os edifícios, a sobrevivência – ainda assim – o poeta insiste em sua prontidão. No mais fica o convite para uma leitura amena, passível de alguma emoção – uma fortuita lágrima interna e quem sabe o entendimento sensível de que a poesia está presente em tudo. Desde o primeiro batimento cardíaco até o último sopro de vida.
SVL

Silvio Valentin Liorbano nasceu em 1966 na cidade de São Paulo. É professor, escritor, poeta e colabora com crônicas e artigos para a Revista Direcional Educador e escreve (desde 2010) a coluna cartas para o Henfil no site Jornalirismo. Livros publicados: Carol Carolina e o lado escuro da Lua (Paulinas – 1999) – participação na Feira de Frankfurt; Um anjo sem nome (Paulinas – 2003); A vida é um zzzzuuuummmm... (Editora Nova Prova – Porto Alegre – 2006) – obra vencedora do 4º Prêmio Casa de Cultura Mario Quintana – poesia para jovens, lançamento na Feira de livros de Porto Alegre. A Fuga do Nariz Vermelho (Paulinas – 2008 – 2ª edição) – participação na Feira de Frankfurt. Os livros fazem parte do acervo da FNLIJ. Romance: A Mulher do Copan – finalista do Prêmio Benvirá (Saraiva) de Literatura 2012.

Porão
Prepare os sentidos
Para os versos que chegam
Vindos de um lugar chamado Minas
Da íris feminina da poesia.
Entremos todos no porão
É bom que se veja o mundo
Sem o auxílio da tevê.
Se há carros demais
Se o demais já é pouco
Na rotina das cidades
Entremos todos no porão
Se lá fora o dia é quente
E a felicidade pede pressa
Entremos todos no porão
Até que cesse o bombardeio
E Deus peça silêncio.

Serviço:

Poesia - Palavra Feminina
Silvio Valentin Liorbano

Scortecci Editora
Poesia
ISBN 978-85-366-3331-2
Formato 14 x 21 cm
páginas
1ª edição - 2013

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home