CONVERSA DE MÃE / Agda Meneses

O trabalho junto às famílias se faz necessário, devido às sequelas da droga que as atingem, mutilando-as emocional e financeiramente, acarretando medos, males e dívidas, desestruturando a todos, como vítimas dependentes ou codependentes químicos. Efeitos colaterais como a insônia, o estresse, a depressão e a hipertensão interferem na qualidade de vida das famílias e as consequências psicossociais comprometem o futuro de todos os envolvidos, e são abordados para que sejam contornados ou amenizados.

A “posse” pela sobriedade se conquista com a assiduidade da esperança e a perseverança, num exercício contínuo pela busca à recuperação, levando a tiracolo a crença de que a união da família é mais forte que o interesse macabro do “fornecedor” de drogas, porque nessa crença há um ingrediente único e exclusivo denominado “amor”.

As drogas estão se expandindo de forma alarmante na sociedade, principalmente entre os jovens, nos círculos de amizades que vão se formando nas escolas, nos clubes, nas festinhas. Esses círculos costumam ter uma influência psicológica muito impressionante e marcante nos jovens, infelizmente muitas vezes superando os conceitos familiares que foram inseridos na sua formação cultural. Tal fato apresenta-se devido à vontade do adolescente de pertencer a um grupo com idade similar à sua, pois tem o mesmo “dialeto da juventude”, as mesmas instabilidades emocionais e a mesma visão geral do mundo adolescente.

Esses círculos de amizades devem ser “supervisionados” pelos pais, de forma honesta, com clareza, sem subterfúgios, agressões ou constrangimentos para com os filhos, os pais dialogando e mostrando os motivos dessa necessidade de aprovação ao grupo. Conversa de mãe aborda a temática das drogas na prevenção terciária (quando já há dependência química), na forma de aconselhamento familiar, principalmente às mães, levando a elas esclarecimentos, incentivos, motivações, perseverança e fé, como forma de reintegração a um ambiente familiar saudável e à estabilidade emocional.

Águida Meneses Valadares Demétrio nasceu em 27 de outubro de 1960, numa zona rural denominada Canto da Pedra, município de Babaçulândia (TO). Foi bancária durante dez anos, gerente financeira de uma grande distribuidora por onze anos e empresária do ramo de supermercados pelo mesmo período. Bacharela em Ciências Contábeis, pós-graduada em Docência do Ensino Superior e Agente da Pastoral da Sobriedade, a autora dedica seu tempo entre os estudos, pesquisas, palestras nas escolas e grupos de autoajuda, como forma de prevenção às drogas ou apoio às famílias e dependentes químicos. Permanece criando obras que possam levar conhecimentos e esclarecimentos, porque o maior enriquecimento é aquele que se destina à mente e à sociedade, pois no conjunto da obra o social se torna prazer. Hoje se prepara para o doutorado na área social, em que atua como agente pastoral. O resgate aos filhos dependentes químicos foi o gatilho propulsor que a impulsionou ao trabalho social, que hoje lhe proporciona prazer e realização, pois foi através dessa sua obra de vida que aprendeu o significado do amor ao semelhante. Seus filhos permanecem recuperados, livres do pesadelo das drogas, e ela batalha para que muitas outras mães consigam essa mesma realização, que se denomina felicidade.

Serviço:

Conversa de Mãe
Agda Meneses

Scortecci Editora
Memórias
ISBN 978-85-366-3418-0
Formato 14 x 21 cm
140 páginas
1ª edição - 2013

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home