FALSIFICAÇÃO DAS DIDASCÁLIAS DO MANUSCRITO d' O TRAIDOR DE DUBLIN / Lescano

Oito relatos com temas e motivos diversos escritos nos últimos trinta anos. Alguns dos personagens são figuras conhecidas no mundo da arte. Franz Kafka, Paul Gauguin, Jorge Luís Borges convivem com personagens ficcionais em enredos de sonho, de falsificação, de ensaio literário. Também o desencanto amoroso, o heroísmo e a traição tem lugar no livro. O "western", o futebol, a biografia, a crítica e a tradução literária são o suporte de alguns dos relatos. A variedade temática promete momentos de lazer inteligente.

Os breves textos que compõem este volume de longo título foram escritos ao longo dos últimos trinta anos, contudo, o livro é menos uma “antologia pessoal” que um catálogo de motivos e formas do repertório do autor. Na era da especialização, agrada-lhe não se limitar a um assunto ou “gênero”. O livro-mostruário satisfaz seu desejo de recuperar a prática de autores de outras épocas, que expandiam seu raio de ação com cada texto. Embora possam ser identificadas genericamente como relatos ficcionais – ou “desescrituras” – nenhuma destas obras padroniza sua escrita. Quando até os parques de diversões são temáticos, o autor acredita que a variedade de motivos e formas pode recuperar a leitura como divertido trabalho intelectual.

Corre o risco de não fixar um “estilo” ou área de interesse. “Antes isto que a chateação de chover no molhado no meu próprio quintal”, afirma. “A escola já faz muito para tornar a leitura uma atividade burocrática sem necessidade de que os ficcionistas colaborem com ela, apesar de estar ali o grande futuro mercado das editoras comerciais e dos escritores profissionais”. (Nosso autor se considera um amador-profissional, ou vice-versa, como se queira).

Atualmente, Lescano separa os escritores em duas grandes tribos: os lúdicos e os messiânicos (“Salvadores do mundo de si mesmos através da literatura”). Ele já foi messiânico e pensa que talvez este seja um estágio necessário à formação do escritor, contudo, hoje prefere se situar no grupo dos lúdicos. Declara que é com a intenção de divertir que publica – em modesta tiragem familiar – alguns dos seus brinquedos. Almeja que os seus frugais leitores fiquem com vontade de Mais um!, pois está decidido a dar à luz outros monstrinhos de natureza similar, ou diversa, como preferirdes.
Livro das cinzas e do vento: I – VII.

Silêncio, cambada de filhos da puta!
Não estão ouvindo o ministro do Senhor falar não?
Frei Simão – Mestre Ariano Suassuna

Este livro não é um livro.
Marguerite Duras

Isto não é um cachimbo.
René Magritte/Michel Foucault

O original quer fazer como os outros,
mas não consegue.
Raymond Radiguet

Tupi ou not to be.
Oswald L.

Ele não reputa a grosseria de humor.
Autor desconhecido

A imaginação, como a vida, não tem cura.
Homem do Saco

Eu vim para confundir, não para explicar.
Chacrinha

Bom, queridos leitores, não nos assombremos.
Em todos os ofícios há muita gente boa.
E por surpreendente coincidência eu sou um dos bons.
Macedonio Fernández

Muito vivi entre os grandes.
Quereis saber como?
Lendo os seus escritos.
Qorpo Santo

A leitura não é um hábito.
Jota Ele

Subscrevo-me, humílimo e esperançoso.
Anônimo Paulistano

Serviço:

Falsificação das Didascálias do Manuscrito d'O Traidor de Dublin
Segundo o Rei, a Velha e o Poeta de San Pablito City
Lescano

Scortecci Editora
Literatura
ISBN 978-85-366-3375-6
Formato 14 x 21 cm
160 páginas
1ª edição - 2013

Mais informações:

Catálogo Virtual de Publicações

Para comprar este livro verifique na Livraria e Loja Virtual Asabeça se a obra está disponível para comercialização.

Voltar Topo Enviar a um amigo Imprimir Home